NOVAS REGRAS PARA A GERAÇÃO DISTRIBUÍDA DE ENERGIA

A resolução normativa

Com a introdução da resolução normativa ANEEL nº 482, de abril de 2012, criou-se mais um estímulo para que os cidadãos brasileiros possam gerar energia elétrica a partir de fontes renováveis, como a energia solar, de baixo impacto ambiental. Inclusive, fornecendo o excedente dessa produção para a rede de distribuição da localidade de residência. As modalidades dividem-se em micro e minigeração distribuída de energia elétrica, que vêm demonstrando ser o futuro da geração residencial e empresarial de energia.

Fazenda Solar fotovoltaica

Com benefícios, que variam desde o baixo custo de manutenção e longevidade, ao baixo impacto ambiental, a geração distribuída de energia solar fotovoltaica se mostra excelente fonte alternativa de energia. Listamos aqui 7 motivos pelos quais você deve investir em energia solar.
No ano de 2015, a ANEEL editou a resolução nº 482/2012, a fim de proporcionar melhores condições para aqueles que produzem a própria energia renovável. A nova resolução nº 687/2015 está em vigor desde Jan/2016. Confira as principais mudanças:

MICRO E MINIGERAÇÃO DISTRIBUÍDA

De acordo com as novas regras, quando se trata de qualquer fonte renovável de energia, a microgeração distribuída corresponde a sistemas com potência instalada de até 75 kW (kilowatt).
Já a minigeração distribuída, diz respeito a sistemas que têm potência instalada de no mínimo 75kW e no máximo 5MW (megawatt).

CRÉDITOS ENERGÉTICOS

Se o sistema de geração de energia produzir um valor maior do que o consumido, essa “sobra de energia” se transforma em créditos que podem ser utilizados para abater o valor das próximas faturas. Com as mudanças na resolução, o prazo de validade desses créditos passa a ser 05 anos.
Outra mudança importante é a introdução do autoconsumo remoto, que possibilita ao titular com limitação de espaço físico, para a acomodação de placas fotovoltaicas, a realização da instalação em outro local. Atendido pela mesma rede de distribuição, gerando, assim, créditos energéticos.
Saiba mais acerca dos créditos energéticos e da isenção do ICMS sobre a energia solar no Espírito Santo.

GERAÇÃO DISTRIBUÍDA EM CONDOMÍNIOS

Outra mudança é a possibilidade de instalação de geração distribuída em condomínios. Nessa modalidade, a energia gerada pelo sistema pode ser dividida pelos condôminos, em porcentagens definidas pelos próprios consumidores.

GERAÇÃO COMPARTILHADA DE ENERGIA

Por fim, possibilitando que diversos interessados se unam para a produção de energia renovável, a ANEEL criou a geração compartilhada. Nessa modalidade, a partir de cooperativa ou consórcio, é possível a instalação de micro ou minigeradora distribuída. Assim, a energia produzida é utilizada na redução das faturas dos consorciados ou cooperados atendidos pela mesma rede de distribuição.

Ficou interessado nas vantagens que a instalação de um sistema solar fotovoltaico oferece? Clique aqui para fazer uma simulação e descobrir qual o melhor sistema solar fotovoltaico para sua necessidade.

Fontes:http://www2.aneel.gov.br/aplicacoes/noticias/Output_Noticias.cfm?Identidade=8955&id_area=90

• RESOLUÇÃO ANEEL 687/2015

 

Escrito por Daniel Fazolo

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Assine e receba as novidades por email!

Não perca tempo,

Faça uma
simulação!

Descubra tudo sobre o seu sistema

  • Preço do Sistema
  • Quantidade de Módulos
  • Economia Gerada
  • Parcela do Financiamento
  • E Muito Mais!